Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Bem me quer

Um diário aberto

Bem me quer

Um diário aberto

Irmãos

images.jpg

 


Quando os irmãos mais novos nascem na nossa cabeça apenas nasceram para nos chatear. Para nos massacrar e aparecem sempre nos piores dias para dar o ar da sua graça, mas com um tempo percebes que o amor de irmãos é um amor diferente de todos os outros. É um amor puro, um amor que pede um abraço com o olhar. É com eles que tens a noção do que é a verdadeira relação humana sem ser com os teus pais.

 A primeira amizade que temos na nossa vida é com os nossos irmãos. É quando aprendes o que é partilhar, cuidar, brincar e sobretudo confiar. É com eles que brincas a primeira vez às casinhas ou fazes os teatros para o pai e a mãe verem. É também com eles que brincas às princesas mesmo que isso inclua vestir o teu irmão de uma.  É com eles que tu aprendes o que é gostar de alguém, aprendes o que é proteger alguém do mundo.
 É com os teus irmãos que aprendes a crescer. Aprendes também que vão entrar mil pessoas na tua vida e outras mil nas vidas deles, mas vocês são para a vida toda.
Sabes que não precisam de fazer promessas ou de se comprometerem com algo, são irmãos e o L de sangue, a cumplicidade, o amor fala sempre mais alto, seja qual for a situação.
 Com eles tens a certeza que independentemente dos momentos a única certeza que tens é que vão envelhecer juntos, é que vão ter rugas comuns e histórias onde todos são narradores da sua parte.  

 Não existe limites, zangas, raivas que consigam falar mais alto do que o laço que nos une. Essa união faz com que o mundo pareça mais pequeno, faz as fronteiras caírem e as muralhas da vida darem-se como vencidas.
 Os irmãos sabem quando o outro não está bem, quando precisa daquele abraço que não é capaz de pedir em palavras.
  Sem eles?! Não era possível. É como ficar sem os pulmões ou até mesmo sem o coração.

 Os irmãos mais novos nunca deixam de ter 5 anos e precisam de ti para  andar,  levantar e rir sem parar. Nunca deixam de ser irritantes, de te massacrar nos dias que tudo te chateia. Nunca deixam a idade dos porquês.
 São parte de ti para a vida inteira e tu parte deles.